O homicídio banalizado

São tragédias constantes envolvendo motoristas de aplicativos. Pais de família que são assassinados, jovens motoristas que são mortos pela violência urbana, o comum entre todos eles é que encontram a vida abreviada no momento em que prestam serviço para alguma empresa estrangeira que faz a gestão desses aplicativos, mas que alegam não guardarem nenhum laço de proteção trabalhista com as vítimas.